Polícia

Colombianos são suspeitos de agiotagem em PG

Estrangeiros estariam fornecendo serviços de empréstimos através de cartões ou panfletos para comerciantes da cidade com juros que chegavam a 1% ao dia

ATUALIZADA - 14h39 - TERÇA-FEIRA

A Polícia Civil de Ponta Grossa, com apoio da Polícia Federal, cumpriu, na manhã de terça-feira (13), oito mandados de busca e apreensão. Os mandados foram cumpridos nos bairros Órfãs e Boa Vista, tendo em vista investigações e representações da Polícia Civil com o objetivo de apurar o envolvimento de estrangeiros (colombianos) com a prática do crime de agiotagem (usura).

Segundo levantado durante as investigações, os estrangeiros estariam fornecendo serviços de empréstimos através de cartões ou panfletos para comerciantes da cidade. Uma vez realizado o empréstimo, a cobrança era diária, de juros que chegavam a 1% ao dia.

"As investigações apontaram que os suspeitos entregavam panfletos e cartões oferecendo estes empréstimos pela cidade", disse o delegado Fernando Jasinski, um dos responsáveis pelas investigações.

De acordo com o delegado, os suspeitos pressionavam a vítima diversas vezes ao dia para realizar a cobrança, tendo, inclusive, um dos suspeitos, em uma das oportunidades, ido armado cobrar a vítima, ameaçando danificar o seu estabelecimento comercial caso o pagamento não fosse realizado.

As vítimas, segundo Jasinski, começaram a procurar a polícia no começo deste ano, mas a suspeita é de que os suspeitos poderiam estar atuando há mais tempo, inclusive, em outras cidades. "Estes empréstimos podem se tornar uma 'bola de neve'. Uma das vítimas relatou que emprestou R$ 3 mil e mesmo após diversos pagamentos já estava com uma dívida de R$ 20 mil", recordou Jasinski.

Além do cumprimento dos mandados de busca e apreensão, a Polícia Civil ouviu depoimentos de 12 colombianos. Os relatos ajudarão a investigação a confirmar se houve a prática do crime.

Operação aconteceu na manhã de terça em dois bairros de PG. (Foto: Polícia Civil)

 

Penas

O crime de usura pode incluir pena de até dois anos e multa, a prática, ainda, normalmente, é aliada a outros crimes, podendo, por exemplo, evoluir para um crime de extorsão em que a pena chega a até 10 anos de reclusão e multa, lavagens de dinheiro e associação criminosa.

A operação da Polícia Civil contou com o apoio da Polícia Federal, autoridade de fiscalização migratória, que analisará a situação de cada um dos estrangeiros no país.

Denuncie

Crimes de agiotagem podem ser denunciados à Polícia Civil através do Whatsapp (42) 99827-9684.

 

Cartões, panfletos e demais materiais foram apreendidos na casa dos suspeitos. (Foto: Polícia Civil)